13 de mai de 2014

Resenha: A Escolha - Kiera Cass

Livro: A Escolha
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 352
Sinopse: A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas á medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. Desde a primeira página da Seleção, este best-seller #1 do New York Times capturou os corações dos leitores e os levou em uma viagem cativante... Agora, em A Escolha, Kiera Cass oferece uma conclusão satisfatória e inesquecível, que vai manter os leitores suspirando sobre este eletrizante conto de fadas muito depois da última página é virada.



A Escolha tinha tudo para ser um livro maravilhoso e totalmente perfeito. Os primeiros capítulos me conquistaram e realmente me levaram a acreditar que seria um final maravilhoso, mas depois do meio do livro não fui gostando das coisas que aconteciam. 

Kiera podia ter focado mais em desenvolver a história do que contar os seus detalhes, ela foca demais em descrever as batalhas e os pensamentos que esquece que algumas coisas precisam ser ditas. 

Ela também colocou certas características novas nos personagens, fazendo com que uma pessoa que você odiava a série inteira faça coisas agora que fazem você repensar o porque odiava ela, o caso da Celeste. 

No incio quando a América veste um vestido vermelho e tenta fazer sexo com o Maxon e ele dispensa ela, foi algo muito hilário e bem interessante para a série. Fez ela ver quem ela realmente ela e nos mostrou que o Maxon é uma pessoa gentil. E na parte em que as meninas estão vendo os guardas fazendo exercícios e a América solta que o Maxon fica tão bem sem camisa quanto qualquer um deles! Aquele momento eu gritei um "tomem! ela já viu ele sem camisa e vocês não!" Minha mãe olhou pra mim e me chamou de maluca, hahaha. 

Uma das coisas em que vocês irão se surpreender muito na história é com os rebeldes do sul e quem está aliado a eles. Nunca cheguei a reparar que havia uma conexão entre certos personagens (que um gosta do outro), mas ocorrem muitas revelações nesse livro. 
"- Você consegue fazer isso. E vai. Se quiser Maxon, precisa ser perfeita. Estou certa de que sabe que nem todos estão a seu favor... E eu precisava ser perfeita. A perfeição era a minha única escolha."

A morte de todos os personagens foi sem graça para mim. Não haveria necessidade alguma de matar tantas pessoas e ainda mais da forma que ela morreram. 

O final do livro foi algo desapontante, assim como a maneira que o Maxon da as noticias para a América e o jeito que ele descobre os rolos que ela tinha com o Aspen. Podia ter estendido um pouco mais a história e colocado mais informações e conteúdos dela explicando a ele toda a sua relação com o Aspen, mas mal durou um capítulo. 

A Kiera podia ter feito um livro maior para dar continuidade a história ou então ter feito mais um. Certas coisas ficam com o desejo de saber como termina, como por exemplo a nova lei das Castas que o Maxon vai implantar, todos gostariam de saber como irá ficar. 

Minha felicidade no livro foi o Maxon e a América se casarem (e o Aspen levando ela até o altar, perfeito) e também o final da Lucy com o Aspen. Era desse jeito que eu queria que ficasse. O resto da história só me fez ficar irritada com certos acontecimentos e chorar em outros. 

Esperava mais do final dessa trilogia que me fez ficar tão louca nos outros livros. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário